domingo, 31 de janeiro de 2010

Falando de mim

Eu sou uma imagem por fora e um sentimento puro de tristeza por dentro.
Sou sorrisos por fora e lágrimas por dentro.
Sou cheia de emoções por fora e feita de pedra por dentro.
Posso mudar por semanas, talvez até meses, mas esse vazio e essa tristeza imensa voltam, como um rio que transborda e vai varrendo tudo o que encontra pela frente.
Essa tristeza me afoga em lágrimas, mas por quanto tempo eu ainda conseguirei nadar até a margem e seguir em frente?

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Tears In Heaven

Eric Clapton

Would you know my name
If I saw you in Heaven?
Will you be the same
If I saw you in Heaven?
I must be strong
And carry on
'Cause I know I don't belong
Here in Heaven

Would you hold my hand
If I saw you in Heaven?
Would you help me stand
If I saw you in Heaven?
I'll find my way
Through night and day
'Cause I know I just can't stay
Here in Heaven

Time can bring you down
Time can bend your knees
Time can break your heart
Have you begging please
Begging please

Beyond the door
There's peace
I'm sure
And I know there'll be no more
Tears in Heaven

Would you know my name
If I saw you in Heaven?
Will you be the same
If I saw you in Heaven?

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Saudade.

Hoje eu acordei e a saudade veio com tudo, pulou e me abraçou tão forte que eu sufoquei.
E esse sufoco está até agora, ela teima em continuar apertadinha em mim, não quer me largar.
Aí eu penso em tantos momentos, e tudo dói.
Dói pensar no que eu poderia ter feito, dói lembrar dos sorrisos, dói lembrar do que poderia ter acontecido.
E isso fica me corroendo, machucando e a saudade ali, me fazendo pensar cada vez mais e mais.

Intensamente

Você já viveu intensamente?
Já escondi um AMOR com medo de perdê-lo, já perdi um AMOR por escondê-lo.
Já segurei nas mãos de alguém por medo, já tive tanto medo, ao ponto de nem sentir minhas mãos.
Já expulsei pessoas que amava de minha vida, já me arrependi por isso.
Já passei noites chorando até pegar no sono, já fui dormir tão feliz, ao ponto de nem conseguir fechar os olhos.
Já acreditei em amores perfeitos, já descobri que eles não existem.
Já amei pessoas que me decepcionaram, já decepcionei pessoas que me amaram.
Já passei horas na frente do espelho tentando descobrir quem sou, já tive tanta certeza de mim, ao ponto de querer sumir.
Já menti e me arrependi depois, já falei a verdade e também me arrependi.
Já fingi não dar importância às pessoas que amava, para mais tarde chorar quieta em meu canto.
Já sorri chorando lágrimas de tristeza, já chorei de tanto rir.
Já acreditei em pessoas que não valiam a pena, já deixei de acreditar nas que realmente valiam.
Já tive crises de riso quando não podia.
Já quebrei pratos, copos e vasos, de raiva.
Já senti muita falta de alguém, mas nunca lhe disse.
Já gritei quando deveria calar, já calei quando deveria gritar.
Muitas vezes deixei de falar o que penso para agradar uns, outras vezes falei o que não pensava para magoar outros.
Já fingi ser o que não sou para agradar uns, já fingi ser o que não sou para desagradar outros.
Já contei piadas e mais piadas sem graça, apenas para ver um amigo feliz.
Já inventei histórias com final feliz para dar esperança a quem precisava.
Já sonhei demais, ao ponto de confundir com a realidade...
Já tive medo do escuro, hoje no escuro "me acho, me agacho, fico ali".
Já cai inúmeras vezes achando que não iria me reerguer, já me reergui inúmeras vezes achando que não cairia mais.
Já liguei para quem não queria apenas para não ligar para quem realmente queria.
Já corri atrás de um carro, por ele levar embora, quem eu amava.
Já chamei pela mamãe no meio da noite fugindo de um pesadelo. Mas ela não apareceu e foi um pesadelo maior ainda.
Já chamei pessoas próximas de "amigo" e descobri que não eram... Algumas pessoas nunca precisei chamar de nada e sempre foram e serão especiais para mim.
Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre.
Não me mostre o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração!
Não me façam ser o que não sou, não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente!
Não sei amar pela metade, não sei viver de mentiras, não sei voar com os pés no chão.
Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra SEMPRE!
Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das idéias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes.
Tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos.
Você pode até me empurrar de um penhasco que eu vou dizer:
- E daí? EU ADORO VOAR!

(Clarice Lispector)

E se...?

E se eu pudesse voltar no tempo? O que eu mudaria? Hum...
Primeiro eu voltaria para aquele dia dos pais de 1998 e daria um abraço super forte nele, também gravaria cada história que ele contou, pra não correr o risco de esquecer de cada palavra...
Por segundo, eu voltaria para qualquer final de semana no sítio e daria um super abraço nela e diria que eu amo muito ela, e que ela sempre foi a minha vó preferida!
Por terceiro, eu voltaria naquele sábado de manhã e iria dar pelo menos um Oi pra ele...
Por quarto, eu voltaria no final de semana que eu não quis ir pra Lomba Grande, só pra passar mais um final de semana do lado dela e dizer o quanto ela era especial pra mim!
E se eu pudesse apagar algum momento? Seria aquele dia no quarto de hospital...