sexta-feira, 10 de julho de 2015

:: saudade ::

Algumas vezes as palavras correm soltas pela mente.
Não formam frases. Muito menos parágrafos.
Elas ficam em total devaneio.
Possuem sentido, em algum momento desse terremoto, cria-se uma pequena ordem, não mais aleatória.
É momentâneo, mas está ali.
E quanto mais os minutos vão passando, mais ordens criam-se.
São pequenas lembranças que a mente busca em momentos de solidão. De tristeza.
Quando chegam com todo o seu calor, essas lembranças trazem o doce da infância, o perfume que se pensava ter esquecido e aquele sorriso. Ah, aquele sorriso!
O sorriso que ilumina o dia ou a noite. Não importa. Ele está ali, presente.
É como se você pudesse pegar ele na palma da sua mão e segurar. Até que despedaça, quando a amarga realidade faz os teus olhos abrirem.

Aí as lágrimas tornam-se o embalo para a agonia. E a saudade, que aperta no peito, agarra o coração com mãos fortes, quase sufocantes.

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Recursos Humanos

Quando decidi trocar a Licenciatura em Física pela área de RH, esqueci de verificar algumas questões...
Afinal, ao ingressar nesta área você se torna um monstro, um ser de outro mundo que arranca o coração e pendura a alma no varal do inferno.
Algumas pessoas passam a ver o profissional de RH desta maneira, quando aparece uma falta na sua folha de pagamento ou ficam sem prêmio assiduidade por ter se atrasado.
Claro, como isso pode acontecer com uma pessoa tão comprometida que "apenas" faltou ao trabalho um único dia ou acabei dormindo dez minutinhos a mais, fui punida com o punhal do inferno?
Afinal, os profissionais do RH foram os criadores daquela tal CLT.
Sinceramente, não sei se o problema está na área, nos profissionais de RH ou na mesquinhice das pessoas que não conhecem Leis e não sabem viver sob tal.
Ponto.